Nenhum produto no carrinho.

Nenhum produto no carrinho.

MARCELO-MARTINS-HORIZONTAL-02-branco

Galeria de Fotos

Info. Contato

Rua Barão de Itapura, 2323 Campinas - SP

Siga- me nas Redes Sociais

25 de junho de 2019 by Marcelo Marttins 0 Comments

Paisagismo tropical abraça arquitetura em casa dos sonhos

O casal de moradores sabia que sua casa dos sonhos precisava de muito verde, além de uma arquitetura espetacular. Foi por meio de recomendações de vizinhos do condomínio que eles decidiram encarregar ao arquiteto-paisagista Marcelo Marttins, responsável por outros projetos na região, a missão de colocar a mão na terra e trazer toques exuberantes à área externa do imóvel de 690 m², com arquitetura assinada pelo escritório Padovani Arquitetos.

Em um primeiro momento, o profissional elaborou um jardim “formal” para os clientes, mas a proposta não agradou. “Eles queriam algo claramente tropical, que conversasse com a linha arquitetônica da casa”, diz Marcelo. O resultado foi um paisagismo com espécies vigorosas, que esbanjam cores e texturas.

Jardim Vertical

Espécie de living aberto, esta área conectada à cozinha exibe um muro verde formado por samambaia-americana, trapoeraba-roxa e areca-triandra. Abraçando as poltronas da La Casa Design, viburno, véu-de-noiva, liríope, lambari e orelha-de-elefante (Foto: Evelyn Muller / Divulgação)

Entre os pontos altos do lazer, está a piscina: “Por estar localizada dentro de um condomínio fechado, privacidade não era uma preocupação do projeto. Nesse caso, a estética se sobressaiu”, avalia. Para abraçar a piscina, Marcelo abusou de espécies mais baixas, como singônios e bromélias-guzmania, mas não se limitou ao plano horizontal. Um painel vertical exibe uma vigorosa mistura de samambaias-alemãs e liríopes.

Ainda na mesma área, o profissional idealizou um living conectado à cozinha. O espaço aberto tem muro verde com samambaia-americana, trapoeraba-roxa e areca-triandra. A área também ostenta variedades com diferentes texturas como viburno, véu-de-noiva, liríope, lambari e orelha-de-elefante.

Por fim, do outro lado do terreno, o corredor apresenta espécies radiantes. São elas: gota-de-orvalho, helicônia-papagaio, pleomele-variegata e palmeira-leque. “Justamente por ser um espaço mais restrito, foi feito um jogo de cores claras. Quando o sol bate, fica bem iluminado e dá uma sensação de amplitude”, indica Marcelo. E ele completa: “Foi um projeto que teve um ganho enorme com a participação dos clientes.”